terça-feira, 27 de maio de 2008

A CRUZ

ELE a carregou sem, no entanto, merecê-la. Veio das regiões resplandecentes para a escuridão do mundo. Governado da terra, fez-se secravo lavando os pés dos próprios discípulos. Trouxe-nos o amor e não foi amamdo. Legou-nos a sabedoria e padeceu-nos a ignorância. ELE não caminhou por entre flores e recebeu a coroa de espinhos da ingratidão humana Deu-nos de beber o néctar da felicidade e sorveu, por sua vez, cálice da amargura. Curou a todos e não pensou as próprias feridas. Esteve com todos e amargou a solidão.
Assim, Mestre inesquecível, ensina-me a olvidar em benefício dos outros, a renunciar para alegria dos outros, a tudo dar sem nada possuir.
Que eu seja crucificado na cruz do esquecimento para ter um dia o merecimento de servi-te mais e melhor.

Jerônimo Mendoça.

Um comentário:

ADEMAR disse...

LINDA MENSAGEM, SÓ PODIA ADVIR DE UM ESPÍRITO RESIGNADO!

SEM LUTAS, NÃO HAVERÁ VITÓRIAS!